Brasileira adia tratamento de câncer e salva seu bebê do aborto

Brasileira adia tratamento de câncer e salva seu bebê do abortoSimone Calixto, uma brasileira que reside em Ontario (Canadá), descobriu que estava grávida quase no mesmo período que o câncer de mama foi diagnosticado.

Por conta do câncer os médicos de Ontario sugeriram a Simone Calixto que se submetesse a um aborto. Depois de recusar a cogitação dos médicos canadenses, viajou ao Brasil onde completou ser tratamento e teve o bebê.

“Eles me disseram que a gravidez estava alimentando o tumor com hormônios, que dificilmente o bebê sobreviveria e que o mais seguro era interromper a gestação para poder fazer o tratamento correto”, disse Simone em entrevista ao Jornal O Estado de São Paulo.

Pressionada pela urgência de uma decisão para o procedimento, Simone afirmou que sentiu que ia morrer: “Senti que ia morrer, minha alma agonizava”, disse ao jornal paulistano.

Diante da situação, Simone Calixto decidiu usar o sonar, um aparelho que permite escutar os batimentos do coração do bebê no útero.
“Coloquei o sonar na barriga e em dez segundos comecei a ouvir o coraçãozinho. Senti que ele estava bem vivo”, afirmou.

Calixto chegou ao Brasil com 36 semanas de gravidez onde fez uma cesariana dando a luz a pequena Melissa. O súbito crescimento do tumor em seu peito, apesar da quimioterapia realizada, a obrigou a adiantar o parto.

Melissa nasceu com apenas uma leve dificuldade respiratória. Posteriormente retiraram o tumor no seio de Simone.

Simone agora deve enfrentar uma bateria de exames que não puderam ser feitos durante a gravidez, como tomografias e mais sessões de químio.

“O mais difícil já passou. A Melissa é um milagre, uma promessa que se cumpriu”, constatou Simone em sua entrevista.

Fonte: ACID