Santa Brígida da Suécia

Dia 23 de julho

História: Esta santa é contemporânea de Santa Catarina de Sena, tendo ambas em comum a personalidade carismática, pacífica e mística.

Casada antes dos dezoito anos com o nobre Ulf Gudmarsson, teve oito filhos. Sua formação cristã rígida desde pequena já incentivava a sua inclinação à religião. Em uma das peregrinações que fez com seu marido, visitando o célebre Santuário de Compostela, seu marido, muito devoto, decidiu ficar em um mosteiro próximo ao santuário onde, inclusive, já estava um de seus filhos dedicando-se à vida religiosa.

Santa Brígida segue o exemplo e também abraça a ordem monástica. Nessa nova ordem, ela põe em prática seu sonho de construir um mosteiro duplo: nele viveriam homens e mulheres, onde o único lugar onde se reuniam juntos, era no momento da oração na Igreja e procuravam viver em plena comunhão com Deus.

Escreveu oito volumes chamado “Revelações”. Extraordinária figura, seguiu as regras de Santo Agostinho e se concretizou em 78 mosteiros espalhados por toda a Europa.

Localizado em Vadstena, o mosteiro recebeu o apoio do rei da Suécia. A Ordem foi aprovada pelo papa Urbano V e após a morte de Santa Brígida, passou a ser dirigida por sua própria filha, santa Catarina. Brígida da Suécia foi canonizada em 1391, dezoito anos após sua morte.

Oração da Santa Brígida da Suécia: Ó Deus, que prometestes habitar nos corações puros, dai-nos, pela intercessão de Santa Brígida, viver de tal modo, que possais fazer em nós a vossa morada. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Devoção: A expansão de mosteiros para um maior número de vocações religiosas

Padroeiro: Terapeutas

Outros Santos do dia: Ana de Constantinopla, Apolinário (bispo); Apolônio e Eugênio (márts.); Cassino, Hidulfo, Lázaro, Libório, Olímpio, Plemundo(bs); Raveno e Rasifo (márts.); Rômula, Redenta e Erundina (vgs); Trófimo e Teófilo (márts.); Vicente, Vodino (arceb.).