São Longuinho

São Longuinho viveu no primeiro século, e dele muito se falou e escreveu, sendo encontrado em todos os registros contemporâneos da Paixão de Cristo.

Oração de São LonguinhoDia 15 de Março

História: São Longuinho viveu no primeiro século, e dele muito se falou e escreveu, sendo encontrado em todos os registros contemporâneos da Paixão de Cristo. Existem citações sobre ele nos evangelhos, epístolas dos Santos Padres, e martirológicos tanto orientais como nos ocidentais. Estes relatos levaram a uma combinação de diferentes situações, mas, em todas foi identificado como um soldado centurião presente na cena da Crucificação. Os apóstolos escreveram que ele foi o primeiro a reconhecer Cristo como “o filho de Deus” (27,54 Mateus; 15,39 Marcos; 23,47 Lucas). Em meio ao coro dos insultos e escárnios, teria sido a única voz favorável a afirmar Sua Divindade.

Identificado pelo apóstolo João (19:34), como o soldado que “perfurou Jesus com uma lança”. Fato este que o definiu como um soldado centurião e que lhe deu o nome Longuinho, derivado do grego que significa “uma lança”. Outros textos dizem que era o centurião, comandante dos poucos soldados que guardava o sepulcro do crucifixo, e que presenciava as crucificações, portanto presenciou a de Jesus. Depois, da qual, se converteu.

Segundo a tradição,os crucificados tinham seus pés quebrados para facilitar a retirada da cruz, mas, como Jesus já estava com os pés soltos, um dos soldados perfurou o lado do seu corpo com uma lança. O sangue que saiu deste ferimento de Jesus respingou em seus olhos. Caindo em si, comovido e tocado pela graça, o soldado se converteu. Abandonou para sempre o exército e sua moradia, se tornou um monge que percorreu a Cesarea e a Capadócia, atual Turquia, levando a palavra de Cristo e mais tarde, promovia prodígios pela graça do Espírito Santo.

Entretanto, o governador de Cesarea, que estava irritado com a conversão de seu secretário, descobriu sua identidade de centurião e o denunciou a Poncio Pilatos em Jerusalém. Este, acusou São Longuinho de desertor ao imperador e o condenou a morte, caso não oferecesse incenso no altar do imperador, renegando a fé. Longuinho se manteve fiel a Cristo, por isto foi torturado, tendo seus dentes arrancados, a língua cortada e, depois, decapitado.

No Oriente são inúmeros os dias do calendário para as suas homenagens, o mais freqüente ainda é em 16 de Outubro. Na Europa e nas Américas, a comemoração ocorre no dia 15 de Março, como indica o Livro dos Santos do Vaticano.

São Longuinho, à luz de muitas tradições, comumente é invocado pelos devotos para encontrar objetos perdidos. Os artistas ao longo do tempo foram atraídos pela singularidade de sua figura e o representaram em suas obras na cena da crucificação, com lança ou sem lança, mas sempre presente. Em Roma, na basílica de São Pedro, na base de um dos quatro pilares que sustentam a imensa cúpula que cobre o espaço do altar do trono do Sumo Pontífice, está a estátua do centurião São Longuinho, que foi o primeiro a acreditar na divindade de Cristo.

São Longuinho no Brasil

Há uma crença popular no Brasil, de que São Longuinho acha objetos perdidos. É só repetir:
São Longuinho, São Longuinho, se eu achar (nome do objeto perdido) dou três pulinhos e três gritinhos (Achei, São Longuinho. Achei, São Longuinho. Achei, São Longuinho.)

Oração de São Longuinho:

Lembrai-vos oh São Longuinho, prodigiosamente tocado pela graça de Jesus agonizante em sua ultima hora que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que recorrem a vossa proteção, fosse por vós desamparados. Assim, dignai-vos interpor em meu favor, vossa valiosa intercessão perante a DEUS, para que conceda viver e morrer como verdadeira cristã e ainda me auxilie a encontrar. (dizer o nome da pessoa ou objeto desaparecido e rezar um pai nosso, uma ave Maria e fazer o sinal da cruz). Amém.

Padroeiro: dos esquecidos e para encontrar objetos

São Longuinho e a tradição dos 3 pulinhos

Existe sensação pior do que não encontrar alguma coisa quando você está saindo de casa atrasado para aquele compromisso importante? É incrível como, nessas horas, a chave do carro ou a carteira teimam em desaparecer. E você, no momento do desespero, vê-se quase obrigado a seguir o conselho de sua mãe, tia ou avó, repetindo: “São Longuinho, São Longuinho, se eu achar tal coisa dou três pulinhos”.

Ok! Talvez existam formas menos estranhas de agradecer a um santo por um favor obtido (apenas uma bela oração, por exemplo). Mas isso já virou tradição em muitas famílias, principalmente no Brasil e na Espanha, onde a festa de São Longuinho acontece no dia 15 de março.

Mas quem foi esse tal santo que nos ajuda a encontrar coisas perdidas?

Sabe–se que Longuinho – cujo nome deriva da expressão grega que designa “uma lança” – viveu nos primeiros séculos e foi o centurião que, por ordens de Pilatos, permaneceu aos pés da cruz de Jesus com outros soldados. Também foi Longuinho que atravessou o lado do corpo de Jesus com uma lança, ao invés de quebrar as pernas dele, como acontecia com outros crucificados. A passagem está narrada no Evangelho de São João:

“Como o vissem já morto, não lhe quebraram as pernas, mas um dos soldados abriu-lhe o lado com uma lança e, imediatamente, saiu sangue e água” (Jo 19,33-34).

Há também uma tradição que diz que ele tinha sérios problemas de visão e estava ficando cego. Entretanto, após perfurar o Senhor, uma gota de sangue caiu nos seus olhos e ele passou a enxergar perfeitamente. Esta e outras manifestações da natureza que aconteceram depois da crucificação o fizeram reconhecer: “Verdadeiramente, este Homem [Jesus] era Filho de Deus”.

Depois disso, ele converteu-se e abandonou o exército. Refugiou-se na Capadócia, onde se tornou monge. Porém, sua identidade foi descoberta e ele foi perseguido. Como não quis abandonar sua fé cristã, foi torturado até a morte, tendo a língua e os olhos arrancados.

Mil anos depois, em 999, Longuinho foi canonizado pelo Papa Silvestre II.

Até hoje, São Longuinho é invocado por quem precisa encontrar algum objeto perdido. Diz-se que ele era um homem baixinho e que, servindo na corte de Roma, vivia nas festas. Nesses ambientes, por sua pequena estatura, conseguia ver o que se passava por baixo das mesas e sempre encontrava pertences de pessoas. Os objetos achados eram devolvidos aos seus donos. Assim, teria surgido o costume de pedir-lhe ajuda para encontrar o que se perdeu. Em agradecimento, segundo a tradição, são oferecidos três pulinhos e uma oração.

Diz-se também que essa forma de agradecimento seria pelo fato de o soldado ser manco. Outra explicação afirma que os pulinhos remetem à Santíssima Trindade.

Oração de São Longuinho

O santo é bastante popular entre os brasileiros e os espanhóis. Por aqui, a Igreja de Nossa Senhora da Escada, no município de Guararema (SP), é a única a ter uma representação de São Longuinho no altar. E se você tiver curiosidade, conheça também a sua oração oficial:

“Ó glorioso São Longuinho, a vós suplicamos, cheios de confiança em vossa intercessão. Sentimo-nos atraídos a vós por uma especial devoção, sabemos que nossas súplicas serão ouvidas por Deus nosso Pai, se vós tão amado por Ele, nos fizer representar. Lembrai-vos São Longuinho, prodigiosamente tocado pela graça de Jesus agonizante, em sua última hora, que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que recorrem a vossa proteção, fosse por vós desamparado. Assim, dignai-vos interpor em meu favor, vossa valiosa intercessão perante Deus, para que me conceda viver e morrer como verdadeiro cristão, e me auxilie a encontrar o objeto que tanto necessito. Amém”.

Depois dessa reza, é só dizer o nome do objeto que procura e rezar um Pai Nosso e uma Ave Maria. Claro que a maioria prefere a mais popular, que faz referência aos pulinhos – só não pode se esquecer de cumprir a promessa ao encontrar o objeto, hein? Afinal, não custa nada agradecer da maneira tradicional, mesmo que ninguém saiba explicar o motivo.

Outros Santos: Leocrecia, Raimundo de Fítero (abade) Aristóbulo, Menigno, Nicandro, Matrona, (mártires); Probo (bispo); Especioso (monge); Clemente Maria Hofbauer Sisebuto (abade), Adjutor (bispo); Arnaldo (abade).