São Tomás de Aquino

Sao_Tomas_AquinoDia 28 de Janeiro

História: Tomás nasceu em 1225, filho do conde de Aquino, no castelo de Roccasecca. Aos 18 anos, contrariando a vontade dos familiares, ingressou na Ordem dos Pregadores de São Domingos.

Estudou em Colônia na escola de santo Alberto Magno e depois em Paris. Em Paris, de aluno passou a mestre de filosofia e teologia.

Ensinou depois em Orvieto, Roma e Nápoles. Manso e silencioso, em Paris foi apelidado de boi mudo. Era gordo contemplativo e devoto. Respeitava a todos e por todos era amado. Era antes de tudo um intelectual.

Imerso nos estudos seguidamente perdia a noção de tempo e de lugar. Seus estudos foram proveitosos a todos. Sua norma era: oferecer aos outros os frutos da contemplação. Seus escritos constituem um dos maiores monumentos de filosofia e teologia católicas.

Tinha só 48 anos quando morreu. Morreu no dia 7 de março de 1274, no mosteiro cisterciense de Fossanova. Estava de viagem para o concílio de Lião, convocado por Gregório X. Sua obra principal é a Suma teológica. É uma síntese da teologia. Quando queriam os milagres para canonizá-lo, o papa João XXII disse: “Ele fez tantos milagres, quantas proposições teológicas escreveu.”

A primazia da inteligência é a mola mestra de toda a obra filosófica e teológica do Doutor angélico. Não se tratava, porém, de um intelectualismo abstrato, pois a inteligência é condicionada e o amor é condicionante: “Luz intelectual de amor cheia…”, diz Dante que foi um dos primeiros tomistas.

O pensamento de são Tomás de Aquino foi e continua sendo a base dos estudos filosóficos e teológicos dos seminaristas desde os seus tempos a até nós. O papa Leão XIII e o filósofo Jacques Maritain fizeram reflorescer os estudos tomistas. Suas obras, não tanto as grandes Sumas, como especialmente os opúsculos pastorais e espirituais, foram reimpressos.

Oração: Deus, nosso Pai, Santo Tomás de Aquino dedicou toda a sua vida ao estudo e à contemplação do mistério da vossa redenção. Dai-nos a graça de meditarmos continuamente vossa Palavra e de encontrar nela luz para nossos passos, força para a nossa luta de cada dia por trabalho, alimentação e condição de vida mais humana. Dai-nos o entendimento e a sabedoria que nos advêm de uma fé consciente, e confirmada por palavras e obras, capaz de nos fazer esperar mesmo contra toda esperança.

Devoção: À busca incessante do conhecimento e da paz interior

Padroeiro: Das faculdades ou universidades católicas

Outros Santos: Flaviano (mártires); Julião, Valério, Cirilo, (bispo); João (presb); Tiago (erem); Radegundo (virgem); Ricardo (abade); Adjutor (bispo); Tirso (mártir).

CategoriasSem categoria