São Vicente de Paulo

Dia 27 de setembro

Historia: São Vicente de Paulo era filho de camponeses pobres – Guilherme de Paulo e Beltranda de Moras e nasceu em um tempo de ideais de grandeza nacional mas devastado pelas guerras e revoluções internas.

Mas as dificuldades pelas quais passou fez firmar ainda mais seu caráter, transformando-se em um dos homens mais importantes da França.

Sofreu uma marca indelével em retorno de uma viagem, quando fora receber uma herança. Seu barco foi atacado por piratas turcos e ele feito escravo e vendido em praça pública a um pescador, posteriormente repassado a um químico e, finalmente, a um cristão renegado.

Grandes foram suas privações, principalmente por haver sido por dois anos, escravo. São Vicente de Paulo estudou de início em um colégio de franciscanos na cidade de ACQS, vindo a iniciar sua vida sacerdotal aos 15 anos, quando recebeu a tonsura.

Ordenou-se sacerdote aos 19 anos. Seus interesses centravam-se na reforma do clero e na caridade para com os pobres. Foi pároco esmoler-mor das galés e missionário dos camponeses.

Retornando a Paris foi designado capelão da Rainha Margarida de Valois e passou a visitar os doentes no Hospital de Caridade. Ciente das necessidades deles, São Vicente de Paulo comunicou à Rainha que os pobres estavam morrendo de fome mas ela lhe responde que já havia feito o suficiente.

Mais tarde haveria de mudar seu modo de pensar. Como eram muito pobres fez com que os sacerdotes da nova congregação que fundara (Lazaristas ou padres de missão) emitissem um voto especial de se consagrarem à evangelização dos pobres.

Para continuar com a reforma do clero, criou e dirigiu com seus padres, seminários para os necessitados, fundou hospitais e, com Santa Luisa de Marillac fundou a congregação das Irmãs de Caridade, bem como, funda o “Berçário de Paris”. Iniciou visitas às prisões e executou a reforma do clero pelos jovens, organizando seminários, sendo o primeiro em data de 22/01/1624, dirigidos pelos padres da missão, os Lazaristas.

Organizou os estudos em dois níveis: o primeiro para humanidades, e o segundo para o estudo da filosofia e da Teologia. As 44 mil irmãs que trabalham hoje em leprosários, orfanatos, hospitais, manicômios, escolas, asilos, continuam a presença de São Vicente de Paulo até os dias de hoje, Sua iniciativa no bem se estende na organização das “Conferencias de Caridade” ou “Damas de Caridade”, formada por senhoras de todos os níveis sociais, objetivando à assistência aos pobres.

A profícua vida de Vicente, calcada em uma obstinação ilimitada pelo bem ao próximo, fez deste “paladino da Caridade” um realizador incansável de inúmeras obras, como a: Congregação da Missão; Irmãs de Caridade; Orfanatos; Escolas; Hospitais; Confraria de Homens; Asilos; Evangelização dos pobres; Assistência aos doentes; Assistência aos menores; Ensino gratuito às crianças; Assistência aos doentes mentais Recuperação e assistência às prostitutas.

Seu prestígio com o Rei Luis XIII lhe fez receber o cargo de Ministro da Caridade, responsável por organizar o serviço social em todo país. Vicente encarava sua missão de forma profundamente humilde. Vejamos esta passagem. Certo dia, quando pedia esmola, lhe cuspiram no rosto.

Vicente de Paulo disse ao seu interlocutor: Isto foi para mim, agora dê uma esmola para os pobres. São Vicente de Paulo se destaca como um dos símbolos de santidade de toda uma época – Le grand siecle – e mesmo de todos os povos e de todos os tempos.

Trabalhou até a morte, deixando-nos como heranças como superar a todas as dificuldades da vida. Palavras de São Vicente: “Meus irmãos, amemos a Deus, mas amêmo-Lo à nossa custa, com a fadiga de nossos braços, com o suor do nosso rosto”. Foi nomeado pelo Papa Leão XIII como Patrono dos Serviços Sociais.

Façamos uma retrospectiva: quando menino, este nosso amado santo, extraordinário homem de Deus, criava porcos. Passou de criador de porcos a escravo. De escravo a prior da capela da rainha. Realmente. Sua vida é a confinação plena de que “A boa espada é acrisolada no fogo”.

Oração de São Vicente de Paulo: Ó glorioso São Vicente, patrono de toda caridade, pai daqueles que estão na miséria e que, enquanto na Terra, jamais deixou de amparar a todos que a Vós recorreram, considerai os males que estão nos oprimindo e vinde em nosso socorro. Obtende junto do Senhor ajuda para os pobres, alívio para os enfermos, consolo para os aflitos, proteção para os abandonados, espírito de generosidade para os ricos, a graça da conversão para os pecadores, entusiasmo para os padres, paz para a Igreja, tranqüilidade e ordem para as nações e salvação para todos. Permiti-nos comprovar os efeitos da vossa misericórdia intercessão e assim sermos ajudados nas misérias da vida. Possamos nós estar unidos com o Senhor no paraíso, onde não existe mais dor, choro ou tristeza, mas alegria, contentamento e duradoura felicidade. Amém.

Devoção: Aos necessitados tanto material quanto espiritualmente

Padroeiro: Dos serviços sociais

Outros Santos do dia: Outros santos do dia: Ántino, Leâncio, Euprépio, Adolfo, João, Florentino, Fidêncio, Hilário, Terêncio, Epicari (mátrs.); Elceário (af); Barroco (monge); Digeberto (rei); Diosdado (ab).